Busca e Pesquisa

"A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro."

Sylvio Costa Filho

Nome Artístico / Nome Fantasia

Pessoa Física -

Ator/Atriz

Sobre

Professor, autor e ator teatral, animador cultural. Fui um dos idealizadores e participantes do Projeto Mambembe-Caravana Cultural, , apresentando teatro no palco montado em um caminhão. Há 33 anos atuo no Grupo Teatral Pessoal Aí, indicado para o Prêmio de Cultura do Estado. Fui membro do conselho de cultura de Petrópolis. Participei na elaboração do Plano Municipal de Cultura e fui delegado nas conferências de cultura, municipal, estadual e na conferência nacional, representando Petrópolis.

Experiência

CURRICULUM VITAE (SÍNTESE) Sylvio Luiz da Costa Filho, nascido em Petrópolis, R.J., a 6 de dezembro de 1954, arte-educador, animador cultural, ator, diretor de teatro, professor de língua portuguesa e literatura. Frequentou os cursos de Direção, Teoria e Interpretação Teatral da Escola de Teatro da FEFIERJ, hoje UNI-RIO, onde foi aluno de Bárbara Heliodora, Glorinha Beutenmüller, José Renato, Pernambuo de Oliveira, Roberto de Cleto, Henrique Oscar, Aldomar Conrado entre outros, e também formou-se em Letras pela Universidade Católica de Petrópolis. Foi professor de Educação Artística e Coordenador de Teatro no Liceu Municipal de Petrópolis durante nove anos (1976-1985). Professor de Língua Portuguesa na COMAC (Petrópolis) e Colégio Eco Ensino Integral (São Paulo-1985). Em 1985, em São Paulo, ator na montagem de alunos formandos da USP, sob a direção de Toninho do Valle. Em 1986, foi um dos fundadores do Grupo Teatral Pessoal Aí, no qual atua até hoje. Animador Cultural nos CIEPs, ocasião em que participou e concluiu um curso de extensão em animação cultural na UERJ, tendo aulas com Augusto Boal, Darcy Ribeiro, Joel Rufino e outros. Professor de Teatro no Centro de Cultura de Petrópolis. Animador cultural no Projeto Recriança. Professor de teatro no Centro Cultural Viva, na Associarte Educação e na Escola de Saltimbancos do Teatro Municipal de Petrópolis, no SESC Petrópolis e Sociedade Brasileira de Eubiose. Professor de Português e Literatura no C. E. Hercília Moret e CIEP 137 Cecília Meireles, onde desenvolve um projeto de teatro com os alunos do Ensino Médio. Foi um dos idealizadores e criadores do Projeto Mambembe de Teatro nas Comunidades que percorreu nos anos 90 distritos e bairros de Petrópolis. Recebeu o Prêmio Reynaldo Chaves da Academia Petropolitana de Letras pelo trabalho cênico (1989) e o Prêmio Carauta de Souza para obra poética, com o livro “América, Noite e Manhã”, no ano de 1992. Homenageado pela imprensa petropolitana no ano de 1991 como “Personalidade Revelação da Cultura” e “Destaque da Cultura” no ano de 1999. Tem várias peças teatrais escritas e montadas pelo Grupo Teatral Pessoal Aí no qual atua há 31 anos. Desenvolveu trabalhos de teatro na área da educação junto aos professores e alunos através de oficinas e palestras em escolas que leciona, na Prefeitura Municipal de Petrópolis, na Rede Estadual de Ensino e na Universidade Católica de Petrópolis. Autor e ator em diversos trabalhos teatrais para campanhas institucionais como “Aleitamento Materno”, Campanha contra a Dengue, Conscientização da Faixa de Pedestre”, Teatro nas comunidades sobre prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) . Dirigiu, juntamente com Pita Cavalcanti, com quem já atua há 31 anos, o curso de Teatro para a Melhor Idade, da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis de 2005 a 2010. Em 2012 escreveu e trabalhou como ator no espetáculo “O Trombone e o Fuzil” com direção de Pita Cavalcanti. Esse espetáculo tem como tema a “Casa da Morte”, local de tortura durante a ditadura, situado em Petrópolis. Indicado para o Prêmio Guerra Peixe por seus trabalhos de autoria com “O Trombone e o Fuzil” e “Os barros do Manoel”, uma releitura da obra poética de Manoel de Barros. Especializou-se em performances nas quais se caracteriza como Santos Dumont, tendo atuado em vários eventos em Petrópolis e outras cidades. Em março de 2015 recebeu o Prêmio Reynaldo Chaves, da Academia Petropolitana de Letras, por seu trabalho com as Artes Cênicas. Em 2016 participou como ator e autor na reapresentação de “O Trombone e o Fuzil” durante a criação da comissão da “Memória, Verdade e Justiça”. Ainda em 2016 apresenta as leituras dramatizadas “O outro lado da rua”, crônicas do professor Maurício Cardoso de Melo (Casa Cláudio de Souza) e “Alice no País das Armadilhas”, trabalho de ator e autoria (Palácio Itaboraí-FIOCRUZ) Em 2017 reapresenta o Bauerntheater e a performance caracterizando Santos Dumont no aniversário do inventor. Inicia em agosto o ciclo de leituras dramatizadas numa parceria com o Palácio Rio Negro. Em 2018, ator em “A inconveniência de ter coragem”, de Ariano Suassuna, com o Grupo Teatral Pessoal Aí, sob a direção de Pita Cavalcanti. Em 2019, ator, diretor e autor no espetáculo juvenil Ig Coára, com alunos do CIEP Cecília Meireles, em Corrêas. Seguem as leituras dramatizadas no Palácio Rio Negro

E-mail

sylviocf@gmail.com

Tel. Celular

(24) 9-8853-5411

Tel. Fixo

(24) 2248-5412

Comprovação Cultural

Redes Sociais

Compartilhe

Compartilhe com seus amigos, familiares e conhecidos esse perfil e ajude mais ainda a divulgar o trabalho desse profissional da cultura!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

MAIS PROFISSIONAIS

de Assis

Sou atriz, Integrante do Teatro Circense Andança desde 1998, onde além de trabalhar com...

Leia Mais...

Mariana

Artista há 8 anos, trabalhando no setor teatral, com pesquisa e atuação no estado do Ri...

Leia Mais...

Simone Gonçalves

Sou formada em História pela Universidade Católica de Petrópolis. Trabalho com teatro d...

Leia Mais...